30 de jul de 2010


Aquele livro me transportou para outro planeta, parecia que eu tinha acabado de cheirar tiner.

(Roberto, contador de histórias, pedagogo, e ex-menino de rua, sobre o primeiro livro que ele entrou em contato)

28 de jul de 2010


As vezes amei de mais,
outras amei de menos.
De vez enquanto, amo:
sem mais e nem menos.

25 de jul de 2010

Cartas para alguém.



Eu tenho uma grande sensação de estar incompleta. Não como se faltasse outra pessoa. Não estou a devanear sobre a minha desconhecida metade da laranja, tão bem escondida que eu não conheci ainda. Tenho a sensação de estar incompleta, como se estivesse com fome, como se procurasse algo, não alguém. O que eu sinto não é tão bonito assim. 

Quando se quer que um pássaro não voe, corta-se as penas menores, do lado interno da asa, mas estas crescem, existe também uma cirurgia, aonde se extirpa uma das falanges e ela nunca mais poderá voar. Parece cruel? É cruel.  Eu não sei se me cortaram asas, se perdi alguma falange. Provavelmente não, devo estar a devanear novamente. 

Quanto mais eu estudo, mais eu leio, parece que menos certezas eu tenho. 

Mah

O email que você me mandou dá erro.

Gostaria muito de ver o seu blog.

Detalhes

"Detalhes tão pequenos de nós dois, são coisas que não se deixam para depois..."

Gosto de prestar atenção em detalhes. Sim, detalhes, mas um tipo especial de detalhes, aqueles que fazem o coração bater diferente. Causam um certo estranhamento no estômago, um descompasso no peito. Nem sempre são detalhes que remetem a paixões. Esses apenas são os mais bonitos, mais lembrados e mais idealizados. Existem os detalhes que remetem a saudades, a coisas que causam medo, a lembranças ruins.

Cada detalhe tem um significado próprio e completamente variado, de pessoa pra pessoa. Eu não entendo toda a complexidade dos meus detalhes, não sei se sequer identificaria o que são os detalhes para outras pessoas. Tenho essa dificuldade, talvez seja insensível ou burra, ou qualquer outro adjetivo que aqui couber. Dependerá do detalhe de quem que eu desrespeitei. 

São por detalhes que mudamos: decisões, caminhos, rotinas, vidas...

22 de jul de 2010


Se na padaria se vendem sonhos, aonde é vendido o amor??
Tentei no bordel, mas lá é vendido desejos de fomes...

Museu da Corrupção

Museu da Corrupção

Acessem.

É bem interessante.

20 de jul de 2010

Homem dos sonhos


Homem
delineado de sonhos
disperso em nuvem.

Fuligem...
Foolish!





As vezes eu sonho com pessoas com as quais eu não deveria sonhar e em certas situações que essas pessoas não iam também gostar...  Dizem que os sonhos tem significados particulares e expressam desejos íntimos.

Se assim o for, eu tenho medo de mim mesma...

Muito medo!!

hahahahahahaahahhahahahahahahaha

18 de jul de 2010

Pomba-Gira


Tem um fogo que queima
e lhe realça a beleza.
Tem uma luz que ilumina
as vezes parece menina. 
Sabe ser serena, 
sabe ser tempestade,
sabe ser calma
e ser calamidade. 

A carga emocional que podemos atribuir a objetos é algo que pode lindo, fantástico, ridículo ou até mesmo fútil. Depende de quem vê e de quem sente. Memórias que são acessas com cheiros, sons, objetos.  A memória é melhor fixada atraves da repetição. Pois as pontes entre os neuronios tornam-se mais duradouras. 

Dois meses após a morte do meu pai, estava almoçando com um amigo em um shopping na cidade de São Paulo. Tinha um pernil. Meu pai era louco com pernil. Eu servi o prato, sentei-me na mesa e comecei a chorar copiosamente. Meu amigo ficou assustado. Correu para buscar água com açúcar, tentava me acalmar.  Quando eu consegui finalmente falar, eu disse: O PERNIL...

Ele falou: Mas você tá chorando por causa do pernil? Acabou? Você queria um pedaço??

Eu comecei a rir. A gargalhar. 

Para quem não conhece o meu pai. Nunca foi escolher um porco com ele em uma granja, nunca ouviu as histórias dele sobre carne do porco e o quanto gosta de um pernil bem preparado, para quem não ouviu 24 anos de tantas historias de carne do porco, fazendas, lamento, não vai entender. 

A símbolo do pernil não me faz mais chorar copiosamente, mas eu ainda não sei se consigo comer pavê.

15 de jul de 2010

Letargia


Lentamente desfeita, 
vagamente satisfeita.
A cama, a mesa, a janela.
O sol nascendo.
O sol morrendo. 

As coisas continuam iguais?
Vaga-lume
Vaga-bunda
Vaga-sonho
Vaga-cendo
...

Música de Auto-Ajuda

Musica de Auto-Ajuda se é que isso existe.

Seria legal ouvir e sair aplicando os conselhos que ela canta.

A vida ia ser bem mais bonita e colorida.

8 de jul de 2010

Materializando


Ter essa percepção absurda do que pode-se dizer superficial, mas que é de algum modo profundo, cansa muito. Então ela se deitou. Estava calada, olhando o teto e pensando nas infinitas probabilidades dos desdobramentos que o dia de hoje teria, poderiam ser tantos, como poderiam ser nenhum. 

Puxou a coberta até o queixo, suspirou. Queria se esconder do mundo. Ficou na cama por horas. Para ser exata deve ter ficado umas 15 horas na cama direto, deve ter levanto uma vez para ir ao banheiro apenas. Não queria se esconder do mundo, queria fingir que o mundo não existia. 

Os sons do dia inundavam o quarto, o corpo reagia, queria ver o sol, mas ela relutava. 

A graça do existir foi maior que o peso do não-ser.

7 de jul de 2010

Consolação.


Eu que
tanto queria
um ninho
um canto
um abrigo
subitamente:
me jogo
da sacada.

5 de jul de 2010

Fiquei trabalhando até as 20:00 hoje, lutando com uma autoclave, o belo resultado do meu esforço:  me trancaram dentro do laboratorio. Prédio de uma Universidade pública.

Obviamente, fiquei assustada. Tentei manter a calma.

Fui para o corredor, fiquei a piscar luzes e sai ligando, tentando falar na portaria.

Quando o guarda noturno abre, depois de 1 hora e meia de espera:

- Uai moça, nao fui eu que te tranquei não.Ainda nem fiz a ronda.
- Tem uma hora que eu to piscando luz aqui e tentando ligar na portaria.
- Ah, eu vi a luz piscando. Achei que fosse a lampada estragando.

Fiquei piscando luzes diversas, por quase uma hora, tentando ligar na portaria.

Sei que nao ia morrer de fome e nem de sede.
Talvez fosse sentir muito frio.
Só.

Mas que eu fiquei apavorada eu fiquei.

2 de jul de 2010


- Eu te amo! Te escolhi, será que você não entende?
- Não, você não me ama. Você mal me conhece. Amar assim com menos de 24 horas?
- Mas como você pode dizer o que eu sinto com tanta propriedade?
Amor não é infarto fulminante. Paixão pode até ser, mas o amor não é.

Valei-me São Jorge!!



Valei-me São Jorge, pois se assim continuar... que eu continue solteira!!

(Nota: Sei que não sou a coisa mais linda da face do planeta, mas também não sou a pEor...). Mas algumas coisas ninguém merece.

Diálogo 1, forró frequentado por universitários, principalmente, da UFMG:

Ele:Gata, e se eu te falar que consigo te levar pra passar a noite ainda hoje no hotel que você quiser na beira da praia do Rio de Janeiro?? Demoraríamos uns 45 minutos. 
Eu: Moço, até que você dança legal, mas tem uma conversa esquisita, vou beber, tchau.


Rá, mas como assim, não conheço a criatura e já acha que o negócio é assim?? Ou que eu ia ficar impressionada com isso?? 


Diálogo 2

Ele. Me dá um beijo. Eu sou paulista.
Eu. E daí?
Ele. Eu disse que eu sou paulista.
Eu. Eu sou mineira. E vc é paulista. Grandes merda.


"Eu sou paulista" tem algum significado conotativo que eu não sabia?? Algum paulista que passar aqui pode me esclarecer? 



Valei-me São Jorge, pois se assim continuar... que eu continue solteira!! 

1 de jul de 2010

Coisas Inuteis

Por que a gente se ocupa com coisas sem utilidade, e se for pensar sem sentido?

Para que atender um telefone para dizer que não vai atender? Se for do interesse de quem está te ligando, a pessoa vai retornar, e se for do seu interesse você vai retornar!! Então??

Sim, eu odeio isso.

PS. senti saudades daqui.