26 de ago de 2011


Paixões juvenis, imbecis, me embotaram o coração e os olhos. Com o peito-pedra, os olhos críticos fui seguindo a trilha de tijolos amarelos. Até que me perdi. Não é caso e nem por acaso. Perder-se, previamente planejado não é fácil, muito menos divertido. 


14 de ago de 2011

O Direito de Ficar Triste


O pensamento cristão ocidental deturpou o direito de ficar triste. Como? Simplesmente ao te dizer que você deveria estar feliz por não estar numa situação pior ainda. Você tomou um tiro na perna?? Fique feliz porque não foi na sua cabeça! Nunca se pode estar triste, abalado. Nos momentos difíceis você tem que ficar feliz por não serem piores. 

Nos momentos tristes, é normal ficar triste, não?? Digo, sentir a tristeza porque ela está ali, depois analisar a situação e tentar lidar com aquilo. Não digo de se entregar a tristeza, apenas de sentir. Se organizar e tentar resolver. Por que, a maioria das pessoas, ao tentar te animar, fala essas coisas? É foda sim, mas você vai superar. Acho isso um "consolo" maravilhoso.

13 de ago de 2011

Copiei....

Pagã

De tão pagã nasci em um dia sem anjo
Quem sabe por isso Todos eles se juntam pra cuidar de mim
 E me garantem a fortuna 
De ter mais sorte do que juízo


Jaci, achei genial, espero que você não se importe.

Para quem quiser ver mais dela, o blog dela é aqui Eutimia às Avessas

10 de ago de 2011

O virgem


Não era exatamente bonita, mas sabia ser encantadora. Seu recato combinado com ironias, sacarmos, era quase que uma característica pervertida. A pele branca e a delicadeza dos traços conferiam um ar de fragilidade. Ou talvez fosse um pouco de falta de saúde. Não se sabe. A linha da roupa sobre o colo, o pequeno  arco sobre o decote, quase um efeito hipnótico, ele pensou. Talvez tudo fosse calculado. A coisa da conquista nem existiria. Papéis sociais a serem compridos. Ele, o "cara", que vai conquistar a mocinha. Apesar disso era um enredo inusitado, pois nessa dança parecia que ela o ensinava como deveria ser conduzida. Tudo tão sutil que ele quase não perceberia, ou não deveria perceber. Fascinado, ele não se importava. Ser amigo, amante, platônico, neandertal, ele apenas queria ser. Ela, fêmea, maior, não era daquelas que comeria o macho após a cópula, mas era tão fêmea que, fatalmente, ele desfaleceria.

3 de ago de 2011

Linearizar


Com toda ousadia que ser mulher lhe permitia, ela ajeitou a blusa sobre os seios, em frente ao espelho. Abriu mais um botão para deixar o decote mais destacado. Ela tinha tantos desejos, não sabia como os dizer, nem como começar. Nem adiantava dizer pelo começo. O começo de algo pode não ser claro, racional, palpável. A história pode ser confusa como os sentimentos são estranhos. Linearizar tudo, padrões matemáticos ao caos. Talvez, talvez... seria como uma saída a francesa, uma coisa discreta e com algum charme. Agora ela passa um batom de cor leve aos lábios. Já faz tempo que pensa em revê-lo e todas as coisas lindas que gostaria de dizer para poder convencê-lo. Convencer não seria certo. Retomar algo que se perdeu não se resumiria em convencer. É um processo muito mais complicado. É sonho louco e doce.

Olhou nos olhos que estavam em frente a ela, no espelho. Não pareciam ser os seus olhos. Rímel importado lhe conferiu cílios enormes. Os olhos estavam bem mais expressivo com aqueles cílios enormes, quase alegóricos. Se os olhos são a janela da alma, ela tinha acabado de embelezar as cortinas. Estar agradável de se olhar deveria fazer-se mais fácil de se ouvir. Isso é uma fragilidade e uma força em uma mulher, uma mulher bonita, claro. Argumentos aos olhos e argumentos aos ouvidos. O que mais faltaria?

Olhou os cabelos. Estavam bonitos. Brilhantes e com aspecto sedoso. A cor castanha com reflexos dourados combina bem com uma pele branca. A cor é meio presente do acaso, já que é afetada pelo brilho do sol, que queima os fios e os deixam dourados também. É interessante ter os cabelos dourados pelo sol. É um processo lento, que geralmente acompanham algumas manchas na pele, que podem até ter um apelo sexy na juventude, mas não se é jovem para sempre. Esperar a idade passar não seria um bom argumento, ou talvez não esperar? 

Era quase um jogo de tudo ou nada. Apesar disso a ansiedade não dominava. A tentativa vale o erro, ou o erro vale a tentativa? Porque acertos estavam, definitivamente, longe de acontecerem.

1 de ago de 2011

super mãe

No salão de beleza, mulheres conversam livremente. Seja pela ausência de homens ou pela necessidade de dividir algo. Não são totalmente estranhas, mas nem amigas, e a falta de censura dos assuntos permite a liberdade das conversas. Aqui o registro de uma conversa, de uma senhora, 50 anos aproximadamente, com a cabeleleira, que estava a escovar seus cabelos:

- Eu preciso que você se apresse, querida. Preciso voltar para casa para ficar com a minha mãe, porque minha irmã precisa sair para trabalhar.
- Nossa, sua mãe está bem? 
- Ela passou por uma cirurgia. Colocou silicone

[momentos de silêncio... e todas as atenções se voltam para aquele diálogo. algumas respirações são presas]


- Mas quantos anos tem a tua mãe??
- Mamãe tem 82 anos. 

[mais momentos de silêncio]

- Ah, mamãe tem 82 anos, está lúcida, não que ela tenha juízo, mas está lúcida, tem tempo e tem dinheiro. Ela colocou porque está namorando com um homem mais novo. Ele tem 70 anos. 
- É... que moderna a sua mãe...
- Você não tem noção. Outro dia fui acompanha-lá no baile da terceira idade, tava preocupada com ela chegando de pileque de madrugada. Nada demais no baile, além de muita empolgação.  Ela colocou esse silicone para agradar o novo namorado. O ex quebrou a perna ao cair em um onibus. Ela ligou para o ex para contar que tem "peitos novos". Mamãe é demais.

Para Poucas

*Trecho de uma carta de Clarice Lispector a amiga Olga.
Nunca pareceu-me tão verdadeiro.

Eu achei, sim,  uma nova amiga. Mas você sai perdendo. Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade eu não sei o que fazer comigo. Sou uma pessoa muito medrosa. Tenho problemas reais gravíssimos que depois lhe contarei. E, outros problemas, esses de personalidade. Você me quer como amiga mesmo assim? Se quer, não me diga que eu não te avisei. Não tenho qualidades, só fragilidades. Mas as vezes tenho esperança. A passagem da vida para a morte me assusta: é igual como passar do ódio, que tem um objetivo e é limitado, para o amor, que é ilimitado. Quando eu morrer (modo de dizer) espero que você esteja perto.