24 de set de 2010

Carta.



Oi,

Sinto saudades de falar e ser ouvida, por isso escrevo.

Nessas minhas divagações sobre "mim mesma" e sobre a vida, minha vida, fiquei surpresa ao ver quão cretina eu possa vir a ser, e sou. Coisas que fiz, que com meio raciocínio, não me imaginaria fazendo. Nessas coisas de vida, verdade, poesia e sonhar acordada, por mais comedida que eu tente ser, sou demasiadamente impulsiva. Meus impulsos são meio auto-destrutivos. Serei eu uma auto-sado-masoquista?

Se é fazendo merda que se abuba a vida, quando é tempo de se semear? De se colher?? Se você tentar adubar enquanto as plantas crescem, elas podem morrer intoxicadas e você perde a colheita.

Você nunca se cansa de sonhar? Eu estou cansada de ser pertubada por tantos sonhos. Seja dormindo, seja acordada.


Beijo,
Heat

4 comentários:

  1. Olá... Pior que sim... no R$ 21,50 estava incluido sim o couvert. Ri quando li teu comentário. Teu poder de síntese é muito bom. Disse o que eu tentei passar com o poema.

    Já por aqui, eu posso te dizer que estou bem familiarizado com essa coisa de sentir saudade de falar e ser ouvido. E, pelas mesmas razões, tal a dificuldade de encontrar quem me ouça, também escrevo. Aí pessoas como tu aparecem por lá em meu blog, e terminam me ouvindo, indiretamente.

    E eu também tenho pensamentos duros em relação a mim mesmo... e sou repleto de sonhos dormindo, quase dormindo e acordado. Esses de quando estou acordado são os mais desconcertantes.

    ResponderExcluir
  2. Hum... comece a realizar!
    Inicie projetos que talvez nunca cheguem ao fim, mas pelo menos você vai mudar de fase: de sonhadora a realizadora. rs

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Eu tb... cansada de sonhar, cansada de viver... cansada de esperar o natural da vida aparecer...

    = /

    ResponderExcluir