20 de out de 2010

Eu queria que certas coisas fossem mais fáceis. Se assim o fossem, não perderiam brilho e nem sabor. Ser mais fácil é diferente de ser fácil apenas. 

Conseguir me expressar e entender as pessoas já me pouparia muito trabalho. Invariavelmente as pessoas distorcem um pouco as coisas quando as escutam. O que alguns chamam de interpretação. A interpretação têm influências morais e culturais. O sinal de OK que a gente conhece em algumas regiões do Oriente é sinal pra indicar o esfíncter anal.

As vezes eu não queria ter nascido pessoa, insensivelmente sensível e medrosa.  Queria ter nascido bicho, no mato, sensivelmente insensível.


19 de out de 2010


"No momento em que eu escrevo, a minha nudez é casta!"

Clarice Lispector in: Aprendendo a Viver

15 de out de 2010




Eu queria te pedir em casamento
queria eternizar a felicidade do momento:
quando nossos corpos se tocam e badalam...

Sinos!

12 de out de 2010



Descobri o que eu quero:
PAIXÃO.
Deus,

São tantas perguntas, que mal sei por onde começar. Eu quero muito entender o sentido da vida. Da minha vida. Pode até parecer algo meio egoísta, mas se eu não entendo a minha vida, como poderei eu entender a vida dos outros? Mas, de certa forma, a vida de todos é bem parecida mesmo... nascemos, crescemos, procriamos (nem sempre...) e morremos. Se eu tiver a minha iluminação, talvez eu consiga ajuda os outros a terem a sua própria, talvez eu faça um best-seller de auto-ajuda...

Antes de mais nada: por que eu tenho tanta cólica?? Como se não bastasse todo incomodo que é esse processo, ter essa dor atrapalha demais. É muito ruim. Quando eu era menina, aprendendo a lidar com esse processo, falaram para que eu dedicasse meu sofrimento as almas do purgatório, para aliviar o sofrimento delas. Deu algum resultado?

Eu quero muito ter um lar. Dizem que seu lar é onde está seu coração? Perdi o meu no caminho?? É por isso que eu acho que no dia que eu re-conhecer o amor, eu ache meu lar?? Digo re-conhecer porque já conheci, tá eu sei que o Senhor sabe disso, mas se eu não pedir orientação, eu não terei, mas sabes como eu preciso de orientação! Céus, essa coisa de onisciência é muito confusa!

Deus, eu apenas queria terminar meu mestrado (com louvor), ficar magra e achar o amor da minha vida, casar e ter filhos. Ajuda me??




Ass.
Mais um ser humano confuso.


3 de out de 2010


Noite insólita, de desejos e luxúria. Lentamente falo, lentamente fala-se: palavras vãs, desconexas. Carícias vivas, percorrem, extrapolam a barreira. 

Cores de roupas se perdem na cabeceira. Raciocínio está turvo. A visão está aguçada. Detalhes lentamente absorvidos, cuidadosamente guardados. 

Os olhos se fecham, não porque não se quer ver. Se fecham porque ver não mais importa. 


Na dificuldade de se fazer escolhas. Na diversidade de detalhes. Quantas coisas não se perdem em um momento? Quantas coisas não se ganha em um momento? O proceder frente a uma encruzilhada: até quando algo é certo? Ou errado? Para qual lado a balança moral da vida deverá pender?