29 de dez de 2010



Vagarosamente, vou colocando em ordem as pedras do meu castelo. Erros e acertos, tudo parte, apesar de eu tanto querer deixar algumas coisas à parte. 

20 de dez de 2010

Sonhar























Dolorosamente acontece de ficarmos nús, sem sonhos para esconder as nossas vergonhas.  É o fundo do poço, é hora de erguer a cabeça para ver a luz lá no alto. Com essa luz a esperança volta, alguns sonhos são escolhidos para nos vestir, assim até termos asas. 

Assim se volta a voar. 

15 de dez de 2010

Acho curioso que quando eu finalmente começo a acreditar em algo bom, acreditar em um sonho bonito, eu me sinta tão desesperadamente vulnerável. 

A minha força na fé..... Que força? Que fé?? Meu herói não morreu de overdose, morreu de cancêr. Assim se aumentou o medo de viver ou seria de desfrutar da vida?  

Sobre viver, acho que resolvi parar de pensar a respeito. As vezes ignoro meu próprio-auto-conselho e me pego a pensar na vida... mas agora não posso mais... resolvi acreditar, não pensar e ter fé. 

Falta quanto para eu estar arrebentada de novo??

Ou finalmente vai dar certo??

14 de dez de 2010

O que eu quero.



Eu não quero ser rica. É fato, não é hipocrisia. Ser rico dá muito trabalho. 

Obviamente quero ter alguns luxos materiais, mas a simplicidade, em geral, atrai-me mais que o ouro. Eu quero ter uma casa que me permita ter um cachorro. Um carro que não me deixe na mão.  Ter como ir ao cinema, umas duas vezes por mês. Não sei se gostaria de ser sócia de um clube, não sou muito fã de sol, talvez para passear com algum filho que venha a nascer. 

Eu quero um amor. Não algo como em filmes românticos-açucarados-depressivos. Quero alguém que segure na minha mão através da linha do tempo, não para me conduzir, para caminhar comigo, construir comigo. Alguém que trabalhe, que lute, para conseguir erguer o nosso castelo-cotidiano. Não quero um herói, não quero um príncipe... não sou princesa. Quero companheirismo, com pitadas de bom humor e algumas ironias... Não alguém que mate ou morra por amor, mas alguém que salve, salve do tédio, das idéias mornas, que faça o doce no amargo do cotidiano. 

Se eu tiver filhos, darei muitos livros a eles. Sempre dou livros de presente, mas para meus filhos seria uma coisa toda nova, seria me re-introduzir no mundo da fantasia. Reviver histórias infantis com o assombro da novidade que meus filhos teriam... livros dentro de livros? Ou sonhos dentro de sonhos?? 

Agora me diga, o que você quer?


27 de nov de 2010























*Para uma Morena querida.

Te abrigas no Reino das Palavras. Motivos?? Não creio que as entendas por completo. Talvez seja esse o charme delas sobre você. Toda magia está na promessa e nas cocégas que fazem em teus ouvidos. Promessas de sonhos. Não que você precise de sonhar mais, mas no Reino que você constroí, você é rainha, é plebéia. Você serve sonhos alheios em bandeijas para alimentar olhos e almas!

26 de nov de 2010

Eu bati o carro.
Tá, dentre mortos e feridos salvaram-se todos, exceto meu ego e meu bolso!! A culpa do acidente foi minha, tentei avisar um cara da porta aberta e não vi que o sinal fechou. Em quase 10 anos de carteira, foi a primeira vez que bati o carro. 

As pessoas falam: graças a Deus, dos males, o menor!! Deus não queria que eu batesse o carro, ué!! Por que Ele iria querer isso ?? As pessoas tentaram me consolar como se por não ter acontecido danos a nenhum ser vivo eu não pudesse ficar chateada, ficar triste. "Ninguém se machucou!!" 

Ainda bem que ninguém se machucou, mas eu quero que o meu direito de ficar chateada não seja usurpado!! =P

Eu estou muito triste, estou muito chateada. 
Gostaria que dissessem que sentem muito. 


25 de nov de 2010


De tanto querer, de tanto sonhar, certas coisas acontecem. Demora-se a perceber. Chegam sem fazer alarde, se desenvolvem lentamente, preenchem espaços. Medos, dúvidas... caminhos diversos, mas chega um dia, que se escolhe fechar os olhos e se deixar levar. O porque de se fechar os olhos talvez nunca venha a ser descoberto, mas conseguir tirar os pés do chão sempre é algo inédito.

18 de nov de 2010

Carta de Ressurreição.

*Cuidado!! Escrevi com o coração na ponta dos dedos.

Quando você resolveu que queria me deixar, eu vi nos teus olhos a clareza da sua decisão. A sua determinação em se separar de mim, apenas me deixar escolher o caminho que mais me aprazia era evidente. Eu te odiei, dentro de todo egoísmo e dor que eu pudesse ter, te odiei. Todo amor que eu tenho, ou tinha, não me deixaram tentar te segurar. Se eu tivesse tentado te segurar, não teria sido amor, teria outro nome: desespero. 

Sofri, não muito silenciosamente, um luto de alguns dias. Uma auto-flagelação no pensar que você estava bem mais feliz sem mim. Facadas no orgulho. Depois de um tempo, passei a chorar calada. Ainda permaneço chorando calada. Certas coisas não tem fim. Como te prometi numa noite apaixonada (ah, não quero soar clichê, mas realmente me lembro) que te amaria pra sempre. Amarei você para sempre, mesmo não pensando mais em juntos e felizes para sempre, quero que você seja feliz para sempre. 

Eu quero muito ser feliz. Passei a ter medo de ser feliz. Medo absurdo. Eu quero a liberdade do tentar e errar. Eu quero a paz e a fome. Quero voltar a ter o direito de sonhar, voar. Vivo com medo. Medo de errar, de machucar alguém. Eu preciso de dar um pé-de-cabra emocional para alguém passar da superficialidade de alguns primeiros encontros. 

Eu quero um novo grande amor. Acho que eu tenho medo de deixar meu amor por você pequeno, mas, existe amor pequeno?? 

20 de out de 2010

Eu queria que certas coisas fossem mais fáceis. Se assim o fossem, não perderiam brilho e nem sabor. Ser mais fácil é diferente de ser fácil apenas. 

Conseguir me expressar e entender as pessoas já me pouparia muito trabalho. Invariavelmente as pessoas distorcem um pouco as coisas quando as escutam. O que alguns chamam de interpretação. A interpretação têm influências morais e culturais. O sinal de OK que a gente conhece em algumas regiões do Oriente é sinal pra indicar o esfíncter anal.

As vezes eu não queria ter nascido pessoa, insensivelmente sensível e medrosa.  Queria ter nascido bicho, no mato, sensivelmente insensível.


19 de out de 2010


"No momento em que eu escrevo, a minha nudez é casta!"

Clarice Lispector in: Aprendendo a Viver

15 de out de 2010




Eu queria te pedir em casamento
queria eternizar a felicidade do momento:
quando nossos corpos se tocam e badalam...

Sinos!

12 de out de 2010



Descobri o que eu quero:
PAIXÃO.
Deus,

São tantas perguntas, que mal sei por onde começar. Eu quero muito entender o sentido da vida. Da minha vida. Pode até parecer algo meio egoísta, mas se eu não entendo a minha vida, como poderei eu entender a vida dos outros? Mas, de certa forma, a vida de todos é bem parecida mesmo... nascemos, crescemos, procriamos (nem sempre...) e morremos. Se eu tiver a minha iluminação, talvez eu consiga ajuda os outros a terem a sua própria, talvez eu faça um best-seller de auto-ajuda...

Antes de mais nada: por que eu tenho tanta cólica?? Como se não bastasse todo incomodo que é esse processo, ter essa dor atrapalha demais. É muito ruim. Quando eu era menina, aprendendo a lidar com esse processo, falaram para que eu dedicasse meu sofrimento as almas do purgatório, para aliviar o sofrimento delas. Deu algum resultado?

Eu quero muito ter um lar. Dizem que seu lar é onde está seu coração? Perdi o meu no caminho?? É por isso que eu acho que no dia que eu re-conhecer o amor, eu ache meu lar?? Digo re-conhecer porque já conheci, tá eu sei que o Senhor sabe disso, mas se eu não pedir orientação, eu não terei, mas sabes como eu preciso de orientação! Céus, essa coisa de onisciência é muito confusa!

Deus, eu apenas queria terminar meu mestrado (com louvor), ficar magra e achar o amor da minha vida, casar e ter filhos. Ajuda me??




Ass.
Mais um ser humano confuso.


3 de out de 2010


Noite insólita, de desejos e luxúria. Lentamente falo, lentamente fala-se: palavras vãs, desconexas. Carícias vivas, percorrem, extrapolam a barreira. 

Cores de roupas se perdem na cabeceira. Raciocínio está turvo. A visão está aguçada. Detalhes lentamente absorvidos, cuidadosamente guardados. 

Os olhos se fecham, não porque não se quer ver. Se fecham porque ver não mais importa. 


Na dificuldade de se fazer escolhas. Na diversidade de detalhes. Quantas coisas não se perdem em um momento? Quantas coisas não se ganha em um momento? O proceder frente a uma encruzilhada: até quando algo é certo? Ou errado? Para qual lado a balança moral da vida deverá pender?

30 de set de 2010




Centros de Pesquisa sobre alienígenas descobriram um plano secreto cuja finalidade é: engordar a raça humana! Fomos estudados arduamente durante anos com o auxílio de sondas BIC (ser caneta era apenas um disfarce perfeito para que ela permeasse todos os lugares). Somos uma espécie de gado para os aliens

A doença da vaca louca não passou de um projeto piloto mal sucedido realizado em vacas, antes de ser realizado em humanos. Se bem sucedido fosse, existiriam muito mais gordinhos nos dias de hoje. Os aliens também são responsáveis por diversas epidemias:  gripe aviária, gripe suína. Através dessas epidemias, querem melhorar os nossos hábitos de higiene, não gostam de comida suja, e querem que sejam usadas toneladas de álcool gel, pois deixa a nossa carne temperada e suculenta para o paladar deles.

Os extraterrestres são os donos das redes de fast food e de biscoitos recheados de gorduras. Chocolate e brigadeiro são armas para atacar mulheres, mais suscetíveis a esse tipo de ataque. Para homens têm-se uma infinidade de cervejas, e carnes.

Sabe quando você está de dieta, e as pessoas descobrem, e te oferecem mil e uma coisas engordativas?? Estão manipulando a mente deles, pois, afinal de contas já tiveram tanto trabalho para te engordar que não podem te deixar emagrecer! Ainda existe muita gente para que eles engordem!!

Se você está a ler isso e faz dieta, saiba que você faz parte da militancia terrestre contra os aliens!!

27 de set de 2010

Eu gostaria de por pessoas sob a lente do meu microscópio. Pessoas são os seres mais fantásticos e mais estranhamente absurdos que já vi. São capazes de coisas fabulosamente belas e horríveis. Os outros seres, animais, plantas, fungos, bactérias e vírus agem com objetivos claros e bem definidos: sobreviver. Qual o objetivo do bicho homem?

24 de set de 2010

Definição da Palavra Tenso

Carta.



Oi,

Sinto saudades de falar e ser ouvida, por isso escrevo.

Nessas minhas divagações sobre "mim mesma" e sobre a vida, minha vida, fiquei surpresa ao ver quão cretina eu possa vir a ser, e sou. Coisas que fiz, que com meio raciocínio, não me imaginaria fazendo. Nessas coisas de vida, verdade, poesia e sonhar acordada, por mais comedida que eu tente ser, sou demasiadamente impulsiva. Meus impulsos são meio auto-destrutivos. Serei eu uma auto-sado-masoquista?

Se é fazendo merda que se abuba a vida, quando é tempo de se semear? De se colher?? Se você tentar adubar enquanto as plantas crescem, elas podem morrer intoxicadas e você perde a colheita.

Você nunca se cansa de sonhar? Eu estou cansada de ser pertubada por tantos sonhos. Seja dormindo, seja acordada.


Beijo,
Heat

1 de set de 2010

22 de ago de 2010

Pavê Metafísico.



O povo mais antigo costumava associar poderes sobrenaturais a alguns objetos. Coisas de misticismo. Sempre eram objetos peculiares, porque a sensação de algo sobrenatural jamais haveria de ser algo banal. Coisas sobrenaturais são, por excelência, divinas e coisas que estão além do entender, se baseiam no sentir. Com o passar dos anos, a ciência esclarecendo as coisas, muito do misticismo e do sobrenatural foi desmistificado. Como se passou a entender, não provocava aquela sensação de algo divino, ou do capeta. Como diz a sabedoria do vodoo haitiano: "Só tem força aquilo que você acredita."

Depois da tarde de hoje, quase posso afirmar que tive um contato sobrenatural com o meu falecido pai através de um pavê. É pavê, mas pode comer... Piadinha genial né?? Meu pai era apaixonado por doces, chocolate nem tanto, mas pavê, pudim, doce de leite, doce de mamão... mas de todos os doces, o pavê tinha um encanto natural. É tanto que a minha mãe nao suporta a idéia de comer pavê. 

Eu comi, muito. Foram três porções desse doce. Eu comia meio que sem pensar, apenas sentia, degustava o doce, como se fosse uma homenagem póstuma ao meu pai, como se ao comer aquilo, eu ficasse mais perto dele. 

Meu pai era meio barrigudo. Eu ainda não sou barriguda. Tenho uma barriguinha. Sim, faço dieta, e hoje foi um desastre, mas o carinho e a homenagem ficam e são bem maiores que qualquer barriga que eu possa vir a ter, ou não.

19 de ago de 2010




Política. Ano de eleição. Assuntos em voga: candidatos, democracia, corrupção, propaganda política, economia, embromação. Políticos são tudo filha da puta?  Políticos.. politicagem rima com sacanagem. Será coincidência ou não? 

Direitos políticos, manifestações, greves. Se algum dia as putas fizessem greve, o que aconteceria? Se deixassem de existir... sem políticos e anarquia instaurada??  Tudo bem! Já sei que falar que todo político é filho da puta é clichê, frase de efeito, mas ainda me resta a curiosidade: o que será que as putas tem a dizer a respeito disso? 

16 de ago de 2010

TPM


Eu quero tudo
e não quero nada.
Pareço uma péssima piada
que deixou o auditório mudo.
Sem poste, sem holofote
sem rumo...
me descabelo!
Quero ir embora
nem sei pra onde. 

15 de ago de 2010

Filme: Paper Heart

Filme-documentário sobre o amor.  A idéia surge da declaração de Charlyne Yi, que nunca amou e não acredita no amor, se acha incapaz de amar. Ela entrevista diversos amigos, casais que completaram bodas de ouro. Vai a universidades e pergunta cientificamente pelo amor. 

14 de ago de 2010

Auto-Conselho


Tristeza é uma coisinha besta, que entra, sem ser convidada, como quem não quer nada. Instala-se em um canto. Depois cresce, a principio meio lentamente, para não causar muito alarde, depois feito câncer. Ocupa diversos espaços, contamina os seus pensamentos. Tenta fazer ruir cada pedacinho seu. Tenta te fazer indigno de sentir felicidade, pois te aponta cada erro que você já cometeu, todas as vezes que falhou, cada pessoa que te magoou e, acima de tudo, cada pessoa que você magoou. Tenta apagar a perspectiva do recomeçar, mudar, melhorar. Ela é a voz que quer ganhar de todos os seus sonhos, no grito. Grita que você não é capaz e que deve desistir. 

Não sei quem falou isso:   a unica pessoa que te impede, realmente impede, de atingir seus objetivos é você mesma. 

12 de ago de 2010



Eu, quem sou eu?? 
Emaranhado de sonhos, paixões, desilusões..
Com talvez uma pitada de desejo, duas de desprezo e meia dúzia de ambições
Como definir meu caráter?  Conjunto de erros e acertos? Como equilibrar a balança?  
O que realmente vale?

Eu sou muitas.
Eu não sou ninguém. 

8 de ago de 2010

Pai



No meu cofre da memória
tem tantas imagens,
tantas paisagens
inúmeras histórias. 

O meu cofre da memória
tem cheiro de saudade
dor e verdade
nafltalina e alguma glória.

O meu cofre da memória
cheio de recortes seus:
museu pulsante, elétrico
de amor e saudade.

Queria muito ter mais coragem, mas recolhi toda a minha dor num canto do peito e sai, como animal ferido. Sai da arena, sai de cena. A minha dor, não considerada digna, tachada de encenação, assim foi rotulada e catalogada na memória. Vocês pessoas que nem me conhecem, como alegam reconhecer tantas nuances íntimas minhas? 

Como num quadro erótico, fui tema, emblema, masturbação. Depois considerada suja, má e ruim...

Eu sai de cena, mas ainda sou dona de mim.

7 de ago de 2010

Flor do Deserto





"O último camelo da linha, anda na mesma velocidade do primeiro."
Ditado popular somaliano


Lindo filme que retrata a vida da modelo Warie Dirie. Nascida na Somália e refugiada na Inglaterra se tornou modelo e foi a primeira mulher a falar publicamente sobre a "ablação", circunsição feminina, processo onde a genitália é removida e costura-se a ferida, deixando apenas um espaço para saída da urina. Tornou-se embaixatriz da ONU contra essa prática.

Lindo filme. Assistam.

Na foto a atriz que interpretou Warie no filme e a própria. 

Sites:

6 de ago de 2010

O FODA-SE




O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional a quantidade de foda-se! que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do foda-se!? O foda-se! aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. 

Reorganiza as coisas. Me liberta. Não quer sair comigo? 

Então foda-se!. Vai querer decidir essa merda sozinho (a) mesmo? Então foda-se!. O direito ao foda-se! deveria estar assegurado na Constituição Federal. 

Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que vingará plenamente um dia.

Prá caralho, por exemplo. Qual expressão traduz melhor a idéia de muita quantidade do que Prá caralho? Prá caralho tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas prá caralho, o Sol é quente prá caralho, o universo é antigo prá caralho, eu gosto de cerveja prá caralho, entende? No gênero do Prá caralho, mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso Nem fodendo!. O Não, não e não! e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade Não, absolutamente não! o substituem. 

O Nem fodendo é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? 

Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo Marquinhos presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!. O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicinio. 

Por sua vez, o porra nenhuma! atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um PHD porra nenhuma!, ou ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma!. O porra nenhuma, como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha. 

São dessa mesma gênese os clássicos aspone, chepone, repone e mais recentemente, o prepone - presidente de porra nenhuma. Há outros palavrões igualmente clássicos. / Pense na sonoridade de um Puta-que-pariu!, ou seu correlato Puta-que-o-pariu!, falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba... Diante de uma notícia irritante qualquer puta-que-o-pariu! dito assim te coloca outra vez em seu eixo. 

Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça. 

E o que dizer de nosso famoso vai tomar no cu!? E sua maravilhosa e reforçadora derivação vai tomar no olho do seu cu!. Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus uando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: Chega! Vai tomar no olho do seu cu!. 

Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoa a camisa e sai a rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios. / 

E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: Fodeu!. E sua derivação mais avassaladora ainda: Fodeu de vez!. Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? 

Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e autodefesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? Fodeu de vez!. 

Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se ...


Autor Desconhecido
Texto que recebi por e-mail.

5 de ago de 2010

A felicidade hoje teve peso, valor, e direito a arquivamento no meu caderno.

294kb

O tamanho do meu amplicon de Clostridium septicum

Sim, estou mto orgulhosa de mim, obrigada.
Eita sono! A vontade que também agora me falta. O cansaço que me cala, e as minhas pernas que tremem. Pois os meus joelhos gemem, ladeiras da vida aleatória. Morte, vida, são tantas e diversas as histórias... mas no fundo acabam sendo iguais.

2 de ago de 2010

Sonhos


O gosto peculiar de alguns sonhos ainda me restam. Sonhos que não aconteceram. Ainda não sei porque teimam em não acontecer. Ou será que sou eu a teimosa nessa história? 

O gosto peculiar de alguns sonhos ainda me restam. São tentadores e doces. Eu viro o rosto e finjo não salivar por eles, ou os guardo no fundo da gaveta de alguma memória aleatória. 

O gosto de alguns sonhos peculiares ainda me restam. Na boca amargam... 

1 de ago de 2010



Sempre, mas sempre tente alcançar a lua. Se por acaso não der certo, o que pior pode te acontecer é aterrissar numa estrela.

(Vi na TV, em algum programa, mas não lembro qual)


Quando olho para as lembranças dos meus erros, sinto raiva de mim mesma (?!!!). Queria muito dizer que errei por excesso de amor, de paixão, mas talvez tenha sido mais por falta. Em alguns casos sobrou orgulho, incompetência, burrice. 

Supostamente devemos aprender com os erros e errar é humano e insistir no erro é burrice. Eu errei demasiadamente, mas poucos erros foram reicidentes, será que isso significa que eu não sou tão burra assim??

Apesar de tantos erros, estou com uma grande vontade de dar certo. 

30 de jul de 2010


Aquele livro me transportou para outro planeta, parecia que eu tinha acabado de cheirar tiner.

(Roberto, contador de histórias, pedagogo, e ex-menino de rua, sobre o primeiro livro que ele entrou em contato)

28 de jul de 2010


As vezes amei de mais,
outras amei de menos.
De vez enquanto, amo:
sem mais e nem menos.

25 de jul de 2010

Cartas para alguém.



Eu tenho uma grande sensação de estar incompleta. Não como se faltasse outra pessoa. Não estou a devanear sobre a minha desconhecida metade da laranja, tão bem escondida que eu não conheci ainda. Tenho a sensação de estar incompleta, como se estivesse com fome, como se procurasse algo, não alguém. O que eu sinto não é tão bonito assim. 

Quando se quer que um pássaro não voe, corta-se as penas menores, do lado interno da asa, mas estas crescem, existe também uma cirurgia, aonde se extirpa uma das falanges e ela nunca mais poderá voar. Parece cruel? É cruel.  Eu não sei se me cortaram asas, se perdi alguma falange. Provavelmente não, devo estar a devanear novamente. 

Quanto mais eu estudo, mais eu leio, parece que menos certezas eu tenho. 

Mah

O email que você me mandou dá erro.

Gostaria muito de ver o seu blog.

Detalhes

"Detalhes tão pequenos de nós dois, são coisas que não se deixam para depois..."

Gosto de prestar atenção em detalhes. Sim, detalhes, mas um tipo especial de detalhes, aqueles que fazem o coração bater diferente. Causam um certo estranhamento no estômago, um descompasso no peito. Nem sempre são detalhes que remetem a paixões. Esses apenas são os mais bonitos, mais lembrados e mais idealizados. Existem os detalhes que remetem a saudades, a coisas que causam medo, a lembranças ruins.

Cada detalhe tem um significado próprio e completamente variado, de pessoa pra pessoa. Eu não entendo toda a complexidade dos meus detalhes, não sei se sequer identificaria o que são os detalhes para outras pessoas. Tenho essa dificuldade, talvez seja insensível ou burra, ou qualquer outro adjetivo que aqui couber. Dependerá do detalhe de quem que eu desrespeitei. 

São por detalhes que mudamos: decisões, caminhos, rotinas, vidas...

22 de jul de 2010


Se na padaria se vendem sonhos, aonde é vendido o amor??
Tentei no bordel, mas lá é vendido desejos de fomes...

Museu da Corrupção

Museu da Corrupção

Acessem.

É bem interessante.

20 de jul de 2010

Homem dos sonhos


Homem
delineado de sonhos
disperso em nuvem.

Fuligem...
Foolish!





As vezes eu sonho com pessoas com as quais eu não deveria sonhar e em certas situações que essas pessoas não iam também gostar...  Dizem que os sonhos tem significados particulares e expressam desejos íntimos.

Se assim o for, eu tenho medo de mim mesma...

Muito medo!!

hahahahahahaahahhahahahahahahaha

18 de jul de 2010

Pomba-Gira


Tem um fogo que queima
e lhe realça a beleza.
Tem uma luz que ilumina
as vezes parece menina. 
Sabe ser serena, 
sabe ser tempestade,
sabe ser calma
e ser calamidade. 

A carga emocional que podemos atribuir a objetos é algo que pode lindo, fantástico, ridículo ou até mesmo fútil. Depende de quem vê e de quem sente. Memórias que são acessas com cheiros, sons, objetos.  A memória é melhor fixada atraves da repetição. Pois as pontes entre os neuronios tornam-se mais duradouras. 

Dois meses após a morte do meu pai, estava almoçando com um amigo em um shopping na cidade de São Paulo. Tinha um pernil. Meu pai era louco com pernil. Eu servi o prato, sentei-me na mesa e comecei a chorar copiosamente. Meu amigo ficou assustado. Correu para buscar água com açúcar, tentava me acalmar.  Quando eu consegui finalmente falar, eu disse: O PERNIL...

Ele falou: Mas você tá chorando por causa do pernil? Acabou? Você queria um pedaço??

Eu comecei a rir. A gargalhar. 

Para quem não conhece o meu pai. Nunca foi escolher um porco com ele em uma granja, nunca ouviu as histórias dele sobre carne do porco e o quanto gosta de um pernil bem preparado, para quem não ouviu 24 anos de tantas historias de carne do porco, fazendas, lamento, não vai entender. 

A símbolo do pernil não me faz mais chorar copiosamente, mas eu ainda não sei se consigo comer pavê.

15 de jul de 2010

Letargia


Lentamente desfeita, 
vagamente satisfeita.
A cama, a mesa, a janela.
O sol nascendo.
O sol morrendo. 

As coisas continuam iguais?
Vaga-lume
Vaga-bunda
Vaga-sonho
Vaga-cendo
...

Música de Auto-Ajuda

Musica de Auto-Ajuda se é que isso existe.

Seria legal ouvir e sair aplicando os conselhos que ela canta.

A vida ia ser bem mais bonita e colorida.

8 de jul de 2010

Materializando


Ter essa percepção absurda do que pode-se dizer superficial, mas que é de algum modo profundo, cansa muito. Então ela se deitou. Estava calada, olhando o teto e pensando nas infinitas probabilidades dos desdobramentos que o dia de hoje teria, poderiam ser tantos, como poderiam ser nenhum. 

Puxou a coberta até o queixo, suspirou. Queria se esconder do mundo. Ficou na cama por horas. Para ser exata deve ter ficado umas 15 horas na cama direto, deve ter levanto uma vez para ir ao banheiro apenas. Não queria se esconder do mundo, queria fingir que o mundo não existia. 

Os sons do dia inundavam o quarto, o corpo reagia, queria ver o sol, mas ela relutava. 

A graça do existir foi maior que o peso do não-ser.

7 de jul de 2010

Consolação.


Eu que
tanto queria
um ninho
um canto
um abrigo
subitamente:
me jogo
da sacada.

5 de jul de 2010

Fiquei trabalhando até as 20:00 hoje, lutando com uma autoclave, o belo resultado do meu esforço:  me trancaram dentro do laboratorio. Prédio de uma Universidade pública.

Obviamente, fiquei assustada. Tentei manter a calma.

Fui para o corredor, fiquei a piscar luzes e sai ligando, tentando falar na portaria.

Quando o guarda noturno abre, depois de 1 hora e meia de espera:

- Uai moça, nao fui eu que te tranquei não.Ainda nem fiz a ronda.
- Tem uma hora que eu to piscando luz aqui e tentando ligar na portaria.
- Ah, eu vi a luz piscando. Achei que fosse a lampada estragando.

Fiquei piscando luzes diversas, por quase uma hora, tentando ligar na portaria.

Sei que nao ia morrer de fome e nem de sede.
Talvez fosse sentir muito frio.
Só.

Mas que eu fiquei apavorada eu fiquei.

2 de jul de 2010


- Eu te amo! Te escolhi, será que você não entende?
- Não, você não me ama. Você mal me conhece. Amar assim com menos de 24 horas?
- Mas como você pode dizer o que eu sinto com tanta propriedade?
Amor não é infarto fulminante. Paixão pode até ser, mas o amor não é.

Valei-me São Jorge!!



Valei-me São Jorge, pois se assim continuar... que eu continue solteira!!

(Nota: Sei que não sou a coisa mais linda da face do planeta, mas também não sou a pEor...). Mas algumas coisas ninguém merece.

Diálogo 1, forró frequentado por universitários, principalmente, da UFMG:

Ele:Gata, e se eu te falar que consigo te levar pra passar a noite ainda hoje no hotel que você quiser na beira da praia do Rio de Janeiro?? Demoraríamos uns 45 minutos. 
Eu: Moço, até que você dança legal, mas tem uma conversa esquisita, vou beber, tchau.


Rá, mas como assim, não conheço a criatura e já acha que o negócio é assim?? Ou que eu ia ficar impressionada com isso?? 


Diálogo 2

Ele. Me dá um beijo. Eu sou paulista.
Eu. E daí?
Ele. Eu disse que eu sou paulista.
Eu. Eu sou mineira. E vc é paulista. Grandes merda.


"Eu sou paulista" tem algum significado conotativo que eu não sabia?? Algum paulista que passar aqui pode me esclarecer? 



Valei-me São Jorge, pois se assim continuar... que eu continue solteira!! 

1 de jul de 2010

Coisas Inuteis

Por que a gente se ocupa com coisas sem utilidade, e se for pensar sem sentido?

Para que atender um telefone para dizer que não vai atender? Se for do interesse de quem está te ligando, a pessoa vai retornar, e se for do seu interesse você vai retornar!! Então??

Sim, eu odeio isso.

PS. senti saudades daqui.

20 de jun de 2010

Dialógos


 

- Eu tenho medo das drogas... menos álcool... mas nem costumo abusar.
 - Eu usei e descobri que não preciso. Quis experimentar para saber se gostava ou não.
 - Ah, eu tenho medo. As pessoas geralmente usam drogas para se livrar de suas limitações, ganhar coragem. Como o mocinho que bebe para criar coragem para falar com a mocinha. Eu, sem nada, nem alcool, fui parar no palco no show, cantei com o cantor, errei a letra, ainda assim me diverti horrores independente do que pensaram das minhas maluquices. Pensa se eu usar drogas?? O que teria eu feito??
 - É melhor. Não use.

[...]

17 de jun de 2010


Certas pessoas sabem ser um sol
que aquece as idéias ruins
e derrete os sentimentos tristes.

Certas pessoas sabem ser um verão
quando se sente apenas o inverno. 




16 de jun de 2010



and sometimes I'd rise to the challenge
but other times I'd feel so bad that I could not get out of bed
and on the days I stayed in bed I sang and sang and sang
about how crappy I felt no realizing how many other people would relate

now people send me emails that say thanks for saying the things they didn't know how to say
and the people in my head still visit me sometimes
and they bring all of their friends but I don't mind
I play my guitar like lightning
when I sing I like it when you sing too loud and clear
different voices different tones all sayin' "yeah, we're not alone"
I got good at feeling bad and that's why I'm still here


(Kimya Dawson, The Competition)

14 de jun de 2010

Coisas de amor (???)

Estavam flertando, começaram a sair... aconteceu o grande dia de ela, finalmente ficar no apartamento dele. Mas como foi algo decidido subitamente ela não levou roupas para dormir. Ele quis ser gentil, claro que pensava que nem sequer iam dormir, mas mesmo assim, tentou ser gentil, ofereceu uma bermuda.

- Mas você pode dormir com uma camiseta minha e uma bermuda. 
- Sua bermuda não cabe em mim, uma camiseta talvez, mas a bermuda não cabe.
- Mas por que a bermuda não serviria? 
- Realmente preciso responder??

[Caros leitores, ela, apesar de exagerada, é horizontalmente e verticalmente maior do que o rapaz]

Horas depois, muitos acontecidos, bons e ruins, os dois já na cama, cansados, ele, muito romanticamente, coloca a mão na bunda dela, aperta e diz: - É ! A  minha bermuda não ia servir mesmo!
Olha-se no espelho: a imagem, a distorção e a miragem. 
O cheiro de cerveja adocicando o ar. Pensando que o mundo vai acabar. Lentamente sorri, entorpecida, cerveja e pensamentos. Pensar demais deveria ser crime. A pena deveria ser uma injeção de espontaneidade. Epifania: penso, logo desisto. 

Levanta-se e o mundo roda. Mas o mundo sempre não rodou sua idiota?? Cadê o vaso sanitário? Por onde andaria aquele imprestável? A comida não caiu bem. A culpa é sempre da comida, barata e sem sal. A cerveja é sempre isenta, pois é boa, importada, cara, fashionada

A vida pode parecer que é como um livro, mas não é. 
Mas o que é mais interessante, viver ou ler a história???