8 de ago de 2010


Queria muito ter mais coragem, mas recolhi toda a minha dor num canto do peito e sai, como animal ferido. Sai da arena, sai de cena. A minha dor, não considerada digna, tachada de encenação, assim foi rotulada e catalogada na memória. Vocês pessoas que nem me conhecem, como alegam reconhecer tantas nuances íntimas minhas? 

Como num quadro erótico, fui tema, emblema, masturbação. Depois considerada suja, má e ruim...

Eu sai de cena, mas ainda sou dona de mim.

Um comentário:

  1. Me vi muito aqui...

    "dor tachada de encenação"... "gente que diz conhecer minhas nuances mais íntimas"... eu te entendo, eu te entendo... como te entendo!!!

    putz! bom d+ esse texto!

    bjoo!

    ResponderExcluir