28 de jul de 2010


As vezes amei de mais,
outras amei de menos.
De vez enquanto, amo:
sem mais e nem menos.

6 comentários:

  1. irretocável. simples, porém intenso. imagem e texto em sintonia; perfeito.

    ResponderExcluir
  2. Vc é uma das poucas pessoas que habitam esse planeta que conseguem dize tudo em poucas palavras...

    beijo!

    ResponderExcluir
  3. Quanta criatividade!!!!

    Perfeito... Disse tudo com maravilhosa perfeição!!

    Aiai.. amei!!!

    bjOO

    ResponderExcluir
  4. Heat... desculpa a demora em retribuir a visita. Desde que li e gostei de seu comentário em meu blog estava nos planos vir aqui e ver teu blog com mais calma... Só consegui isso hoje. As vezes a correria e as mesmices do dia-a-dia nos impedem de ter o devido tempo para as coisas que mais gostamos. No meu caso escrever. É como se prisões cercadas por quilômetros de arame farpado me contivessem no habitat do trabalho. Vi esses arames e me veio essa imagem louca. Meio absurda. Mas trabalho também aprisiona e você deve saber disso.
    Quanto ao amar de mais ou de menos, de pende do quanto somos amados, de mais ou de menos. Quase sempre é proporcional. Por que amor, amor de verdade, é pura troca e compartilhamento. Mas dificil, dificil mesmo é amar sem entender, assim do nada, sem mais nem menos e de repente saber que não haverá a famosa troca.
    Um belo fim de semana para você aonde estiver.

    ResponderExcluir
  5. A gente se apaixona por um sorriso e precisa levar o dono todo, rs.

    ResponderExcluir
  6. Ao ler teu comentário em meu blog senti enorme vontade de vir na mesma hora aqui e continuar o assunto. Teu comentário me fez ver a questão sob um outro enfoque. É verdade! Tu tens razão! Amar vem de dentro. Independente de retribuição. Confesso que ando um pouco cético nesse terreno e, ao postar o outro comentário, pensei mais no amor do tipo ideal. Mas tens razão sim. Podemos amar sem ser amados. Por que o amor é maior até que o desamor.

    ResponderExcluir