18 de nov de 2010

Carta de Ressurreição.

*Cuidado!! Escrevi com o coração na ponta dos dedos.

Quando você resolveu que queria me deixar, eu vi nos teus olhos a clareza da sua decisão. A sua determinação em se separar de mim, apenas me deixar escolher o caminho que mais me aprazia era evidente. Eu te odiei, dentro de todo egoísmo e dor que eu pudesse ter, te odiei. Todo amor que eu tenho, ou tinha, não me deixaram tentar te segurar. Se eu tivesse tentado te segurar, não teria sido amor, teria outro nome: desespero. 

Sofri, não muito silenciosamente, um luto de alguns dias. Uma auto-flagelação no pensar que você estava bem mais feliz sem mim. Facadas no orgulho. Depois de um tempo, passei a chorar calada. Ainda permaneço chorando calada. Certas coisas não tem fim. Como te prometi numa noite apaixonada (ah, não quero soar clichê, mas realmente me lembro) que te amaria pra sempre. Amarei você para sempre, mesmo não pensando mais em juntos e felizes para sempre, quero que você seja feliz para sempre. 

Eu quero muito ser feliz. Passei a ter medo de ser feliz. Medo absurdo. Eu quero a liberdade do tentar e errar. Eu quero a paz e a fome. Quero voltar a ter o direito de sonhar, voar. Vivo com medo. Medo de errar, de machucar alguém. Eu preciso de dar um pé-de-cabra emocional para alguém passar da superficialidade de alguns primeiros encontros. 

Eu quero um novo grande amor. Acho que eu tenho medo de deixar meu amor por você pequeno, mas, existe amor pequeno?? 

4 comentários:

  1. Oi menina!
    Vai, se jogue na vida, e viva-a plenamente. Deixe-se levar sem querer demais, sem buscar demais, que essa busca pode sufocar. Esqueça por um momento e deixe acontecer. O momento virá em que, sem se dar conta, ja terá acontecido.
    Bj.

    ResponderExcluir
  2. Sempre é possível e necessário recomeçar!!

    O sol vai nascer novamente, anunciando um novo amor..

    Que post triste.. mas lindamente perfeito!!

    Amei'

    Bjokinhas =*

    ResponderExcluir
  3. Você me abandonou, isso não é legal não.

    ResponderExcluir