24 de abr de 2011

Palavras vazias, palavras vãs.

  Existiam cores, e calor, você veio e simplesmente as roubou, como se nada fossem, nada valessem. O vazio que ficou as suas palavras não podem preencher, porque são como buracos negros, mas não há nada mais a ser consumido, do que existia, restam cinzas... e até onde eu saiba, fênix não existe.

Um comentário: