11 de jul de 2012


Eu amaria, se meu coração não fosse meio estragado. É, ele é assim, meio esquisito. Bate meio errado,  de vez em quando descompassado, como se uma tristeza irreal estivesse dentro dele. Tem uma vida toda a parte e ainda quer mandar em toda a minha vida. Escolhe meus pensamentos, planta desejos cretinos nos recôncavos da minha mente. É um burro, tolo, metido a imortal. Não aprende com os próprios erros, sempre no final, quem sofre sou eu. 

As lágrimas, minhas lágrimas, que correm soltas, sempre a cada desventura dele. Ser amargo é coisa de fase, como ficar de tpm, mas não acontece todo mês. Talvez devesse durar mais, eu seria poupada. Eu não amo, porque meu coração é bobo e não me obedece nunca. 

2 comentários:

  1. kkkkk Ô dona menina! kkk Ama não, é? kkkkkk Oi vc é que não ta deixando o coração amar e fica jogando a culpa nele, é? kkkkk

    Coração é assim mesmo... kkkkk

    Muito do bacana seu texto e serve de reflexão, acho, que a maioria é assim...

    Obrigado pelas palavras no Sibarita

    O Sibarita

    ResponderExcluir
  2. Coração estragado não existe. Na verdade, é o cérebro que estraga e nos faz pensar que é o coração.

    O cérebro...nosso melhor e pior inimigo, que nos deixa confusos diante de tantas lógicas e nos faz pensar que estamos certos mesmo nos mostrando que está tudo errado.

    O cérebro, sim, é defeituoso. Como pode ser e não ser ao mesmo tempo? Coitadinho do coração...sempre leva a culpa. Quem mandou ser tão intenso, né?

    Adoro textos assim!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir