15 de jul de 2013

Love love love

As vezes eu acho que você não sabe, não entende: a preciosidade do seu sorriso, a riqueza do seu toque, e a delícia dos seus lábios. Cada fibra do meu ser sempre anseia pelo reencontro. A cada momento de distância toda escuridão não me espanta, pois eu sei que a luz dos olhos meus com a luz dos olhos teus irão se encontrar (lará lará...).

Nos dias de promessa, pelas noites quentes, pelos sóis de verão, a cama, a colcha e o colchão. Por todo um novo mundo que irá surgir. Por todo resto da história, quero estar contigo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário