1 de mar de 2012


Poste em homenagem ao meu amigo, Cretino


(...) O desejo corria ardente por minhas veias, como se houvesse fogo no lugar de sangue. Num suspiro profundo senti o seu cheiro, e entre suas pernas, parti-a ao meio, com a língua tão afiada quanto a espada de um samurai. O Cretino, pg. 136.

Um comentário: