12 de jun de 2010


Pecadora

Tinha no olhar cetíneo, aveludado,
A chama cruel que arrasta os corações,
Os seios rijos eram dois brasões
Onde fulgia o simb’lo do Pecado.

Bela, divina, o porte emoldurado
No mármore sublime dos contornos,
Os seios brancos, palpitantes, mornos,
Dançavam-lhe no colo perfumado.

No entanto, esta mulher de grã beleza,
Moldada pela mão da Natureza,
Tornou-se a pecadora vil. Do fado,

Do destino fatal, presa, morria
Uma noute entre as vascas da agonia
Tendo no corpo o verme do pecado!


(Augusto dos Anjos)

3 comentários:

  1. hum... não me lembro.
    acho que não foi ela, rs.

    ia falar contigo no msn, mais a dona moça estava ocupada.
    só anda ocupada.

    anda fazendo pão demais, rs.

    tudo bem menina?

    gostei do layout novo ^^


    gostei do soneto do Augusto e da imagem.
    há tempos que não lia nada dele.

    teve uma época em que eu andava consumida por suas palavras...

    ResponderExcluir
  2. Augusto dos Anjos!! Que legal!!

    *-*

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Que bom que ainda se lembram de Augusto dos Anjos! Fez apenas um livro, "Eu", mas a sua marca é inimitável.
    Se não me engano, você tinha outro blog, não? Este aqui é novo, creio.
    Bjoo!!

    ResponderExcluir