30 de dez de 2011

Memórias



Morri quando descobri que tinha um novo amor e morri de novo quando soube que estava a sofrer por causa deste amor. Queria te guardar de todos os males e de todas as dores do mundo, mas o pedaço seu que existe em mim não te protege de nada. Essa parte sua que mora em mim está tão enraizada quanto cicatrizes antigas. Amor não acaba. Nem mesmo com alzheimer.

3 comentários:

  1. Preciso de um assim... ou apenas entender assim...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Muito foda isso que você escreveu, lindo mesmo, essa parte então é demais " queria te guardar de todos os males e de todas as dores do mundo, mas o pedaço seu que existe em mim não te protege de nada". O pior é que protege sim, talvez não da forma como gostaríamos.

    Abraços Imundos!

    ResponderExcluir
  3. O Amor é o palco no qual nos movemos. Apenas fechar os olhos não nos mudará o cenário, a trama, o tema. Morrer talvez seja um fechar das cortinas. Mas o palco continua lá, inteiro, e você nele. Morrer é apenas um outro capítulo, uma outra cena, uma outra fala.

    ResponderExcluir