14 de nov de 2011


Acham que sou vazia, que não vejo, que não sinto e, muito menos, que percebo. Saibam que sinto, que vejo... Um dia eu vou gritar tão alto que o vermelho do meu sangue vai estourar nos teus ouvidos e azedar em tuas línguas. 

Eu sei, sei mais do que esperam e acabo sendo mais do que pensam. Na mediocridade desses dias que correm, como se fossem protocolados, contagem regressiva para meu fim. Para minha liberdade, isso sim. Pois ao passo que não me enxergam, eu tudo vejo, eu sinto e guardo. Trabalho. Por mais que pensem que seja por inércia, estou chegando ao final. 

Sim, eu estou chegando. 

3 comentários:

  1. É isso aí....tudo tem um fim. Vai com calma que tudo se ajusta. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelos elogios. Sinto falta de compartilhar alguns escritos contigo. Precisamos reativar o nosso blog.

    Quanto ao texto acima, toda ação tem um fim. O fim, por concepção, também é o objetivo. Pode ser também um signo de renovação, um recomeço. Que assim seja!

    ResponderExcluir