28 de nov de 2011

Desabafo.

Sempre perguntam porque eu estou solteira. "É falta de homem? Hummm, acho que a senhorita anda escolhendo demais!! Vai ficar pra titia! Quando achar um, se agarre com todas as forças nele para não morrer sozinha!". Sério, realmente dizem essas coisas. Estar solteira é necessariamente ruim por quê? Nestas horas aparecem os clichês nos textos: um cara solteiro, estudado, bem de vida é um partidão; uma mulher solteira, estudada, bem de vida é uma solteirona enjoada. Por mais que eu deteste clichês é meio impossível viver sem eles. 

Sinceramente, apesar de que, como toda "moça" quero um grande amor (notem mais um uso de clichê), quando penso em alguns momentos da vida, sinto um grande alívio por estar solteira. Algumas das vezes que saí escutei cada absurdo... não exatamente grosserias, mas absurdos mesmo. Esta em um bar com uma amiga. Ela é formada em letras e trabalha com linguística. Um cara, razoavelmente bonito, puxou assunto conosco. Perguntou com o que trabalhávamos, minha amiga respondeu: linguística. Prontamente ele perguntou: Nossa, que legal! Qual ramo da medicina é esse? É novo??  Para nosso destemor, não era uma piada. Ele realmente pensou que era um ramo da medicina. Tá, provavelmente não ficaram convencidos.  Afinal, podia ser alguém bom. 

Continuemos com as peripécias. Em um forró escuto: Gata, você é linda demais. Vamos sair daqui, eu tenho um jato e vou te levar para o hotel na beira da praia em Ipanema. Piriguetes diriam: perdeste um partidaço. Um grande cara. O que eu pensei: É doido! Vou sair de perto enquanto dá tempo. 

Outro diálogo com um don juan: Oi. Gata eu sou paulista. Dou um sorriso amarelo e respondo: Legal. Ele insiste: Gata, você não tá entendendo. Eu disse que sou paulista. Eu dou as costas e saio andando. Existe algum significado para palavra paulista que eu não sei? (Paulistas que me lerem... sinto muito). 

Quase namorei um cara, lindo lindo... mas com alguma psicopatia grave. Ligou me dizendo que não iria me ver porque tinha capotado o carro numa cidade aqui perto e estava internado. Eu como boa namorada fui visitar. Apenas existia a cidade, que fica 50km da minha casa. Nada do hospital. nada de acidentes. Posteriormente descobri que a única coisa que ele não mentiu foi o nome dele. 

Comecei a sair com um depressivo. Ele nunca tinha culpa de nada. O mundo era muito mau com ele. Negava todas as oportunidades que ele merecia ter. Terminei assim que percebi isso.

Homens, sinceramente prefiro acreditar que a culpa é de vocês. 

Valei-me São Jorge!!! Defendei-me dos dragões. 
Impossível meu dedo ser tão podre assim.

Um comentário: