19 de jul de 2011


Dos amores que não tive, você é o que me traz mais mágoa. Pelos sonhos que foram construídos e destruídos. O vazio que ficou dessa falta de sonhos ainda permanece, de certa forma: campo ainda infértil. Poucas sementes tem chance de sobreviver aqui, talvez pela falta de adubo ou pela selvageria local. Não foi resultado de maus cuidados, foi erva daninha, traiçoeira, que limpou o caminho e tudo retornou a um estado primordial, selvagem, duro, árido. Dos amores que não tive, muita coisa não aconteceu. Perdidos entre hipóteses, medo e imensos receios. 

Dos amores que não tive, restou muita liberdade, e um local díficil de alguém entrar.

2 comentários:

  1. Vc sabe...eu sempre digo que os blogueiros não raramente tratam de assuntos coincidentes. Dia desses falei sobre a mesma coisa...sentimentos áridos.

    ResponderExcluir
  2. Já cantei muito Leoni e "depois de você, os outros são outros e só"...até que em algum momento descobri que depois que ele me deixou:

    "...venho até remoçando,
    Me pego cantando, sem mais, nem por quê.
    Tantas águas rolaram,
    Quantos homens me amaram
    Bem mais e melhor que você."

    Que isso ocorra por aí, amiga.

    ResponderExcluir