25 de jul de 2011

Endereçado


Ainda me lembro do teu toque macio, da cor e do sabor do teu sorriso. Acho que ainda sei do arco das tuas costas, do teu cheiro e das coisas postas na cama, feito sobremesa. Não sei se possa ser saudade seja o verdadeiro nome, porque certas coisas nunca foram minhas para que se pudesse sentir falta. Não que eu queira resumir saudade em apenas a falta de algo. Certas coisas são mais, do que eu pude entender, aceitar, digerir. Eu sei que nada passou reto por mim, e que tive todo o tempo, mas nem todo esse tempo seria capaz de fazer um coração idiota entender. Esse idiota ainda não entende muitas coisas, mas alega saudades do que perdeu.

2 comentários: