14 de jul de 2011


Encarando os fatos, vendo os atos, não existe remédio. Não é apenas tédio, é excesso. Tudo que sobra, tudo que corre é escorre pelos dedos. É vício, é pecado capital, é preguiça.
[...]

Nada falta?
Coragem talvez...

Um comentário:

  1. O cheio me persegue. Vazio também. Às vezes preferiria metade. Afinal, estamos em constante construção...

    ResponderExcluir