17 de mai de 2010

Pout Porri


Amor é uma dor, um bichinho que rói rói rói. Aí ele vira uma ferida que dói e não se sente. Assim sendo o amor é uma espécie de frustração, mas ainda assim está acima de tudo que se pode exprimir. 

Alguns dizem que é fantasia, sexo, prosa, poesia e querem viver um eterno carnaval. Outros que é um momento, posto que é chama (mas se alimentar a chama dizem que não morre).  Ou que é um ser extremamente calculista, apesar de ser inexato. Calcula horas por meses, dias por anos, posto que cada breve ausência vira uma eternidade.

O amor é cego, se enxergar talvez não seja amor. Amor não se vê com os olhos e sim com o coração. Dizem também que o amor tem gosto de fruta mordida e que se mata a sede na saliva. Talvez seja isso que nos leva a cometer os erros mais ridículos.  E consegue ainda a incrível proeza de se parecer com a tosse, é impossível ocultá-lo.

Só o amor socorre por dentro, o conhecimento socorre por fora, o conhecimento vem, mas a sabedoria tarda. Pois o amor é a força mais sutil do mundo.

Ainda quero amar feito Pessoa:
- Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?


 Texto criado com coletâneas de frases e textos sobre amor:
*Camões, música pop, Vinicius de Moraes, Lord Byron, Albert Einstein, George Herbert, Willian Sheakspeare, Rochefocauld, Ghandi , Fernando Pessoa, Cazuza

6 comentários:

  1. Muito bom.

    Amor é tanta coisa.

    E quase nada.

    ResponderExcluir
  2. Verdade, o amor está mesmo a cima de tudo que se pode exprimir...

    Lindo post, querida!!
    Amei!!
    bjos

    ResponderExcluir
  3. amei seu texto mocinha.

    e essa pucca, com esse sorriso danado.
    linda.


    beijo moça,
    cuide-se.

    ResponderExcluir
  4. Menina lindo texto
    Olha só, te indiquei um selo so uma lembrancinha tá.
    bjinhos

    ResponderExcluir
  5. é a eterna busca e o (re)descobrimento constante dele mesmo e tudo que o cerca.

    ResponderExcluir
  6. Os amores consagrados na música e na literatura viraram, nesse reverso, os amores de Ana!

    O que dizer se não amável?

    ResponderExcluir