23 de mai de 2010

Um discurso canalha, ou será que eu pego alguém com esse papo?

Amor, você pensa que pensa, não pense! Feche os olhos e sinta, o ritmo, o embalo, a batida. Nossos corpos, uma melodia. Na plenitude de um momento que se reside a felicidade. Esquece dessa vaidade de coisas para sempre, pois o tempo não tem que se obrigatoriamente linear, o tempo é o que a gente quiser que ele seja, carrasco, algoz, juiz, amigo, companheiro.

Vamos, aceite! Pois para o seu deleite essa noite é nossa!! Ahh, pára, não faça troça. Dá-me a tua mão. Já te contei tudo o que sinto. Em num discreto recinto, onde elevar a minha alma eu possa, te farei sentir todo verso e prosa que existe no mundo.

3 comentários:

  1. Rs, pega sim.


    Tantos seres por aí sedentos de fantasia.

    ResponderExcluir
  2. "que não seja eterno, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto DURO"

    ResponderExcluir
  3. Ai que post lindo!!
    Tão romantico, tão profundo.. amei!!!

    Ah, gostei do novo banner do blog!! Essa imagem ficou muito linda!!!

    Tenha uma maravilhosa semana!!
    Um grande beijo pra ti!!

    ResponderExcluir